Afinal, o que é AMPK?

A Importância da enzima AMPK para o metabolismo

Nos últimos anos, muito tem se falado sobre os benefícios da ativação da enzima AMPK (Proteína quinase ativada por AMP) para a nossa saúde. Mas, afinal de contas, o que é essa tal de AMPK?

A AMPK é uma enzima que induz uma cascata de eventos intracelulares em resposta a mudança da carga energética celular. O principal papel da AMPK no metabolismo celular é a manutenção da homeostasia energética, com a ativação do AMPK diversas vias catabólicas que geram ATP são estimuladas, enquanto que vias anabólicas, que consomem ATP são inibidas, dessa forma é reestabelecida a homeostase celular. Todas as células vivas devem continuadamente manter alta relação entre ATP e ADP para sobreviver, sendo a AMPK um componente-chave desse equilíbrio fisiológico, aumentando ou diminuindo sua atividade de acordo com o gasto ou acúmulo de energia, respectivamente. O sistema da AMPK é ativado por qualquer estresse que cause aumento na relação intra-celular AMP/ATP como em resposta ao exercício físico, uma atividade conhecida por ter impacto positivo para pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2.

Uma vez ativada, a AMPK exerce efeitos sobre o metabolismo da glicose e dos lipídios, sobre a expressão gênica e sobre síntese proteica. Essa enzima atua em diversos órgãos, incluindo fígado, músculo esquelético, coração, tecido adiposo e pâncreas. Sendo assim, ela é responsável por promover a juventude e determinar a composição corpórea em relação a deposição de gordura corporal e nossa longevidade. Porém, conforme envelhecemos, a ativação desta enzima diminui consideravelmente.

Com isso, uma série de alterações começam a ocorrer em nosso organismo, como o aumento da gordura abdominal, a inflamação crônica, a elevação da taxa de glicose sanguínea, o aumento da resistência à insulina, o aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos, entre outras alterações que podem ocorrem em maior ou menor intensidade.

A boa notícia é que já podem ser encontradas no mercado, substâncias que são capazes de manter a AMPK ativada, proporcionando uma série de benefícios para a saúde.

Benefícios da ativação da AMPK:

• Redução da glicose sanguínea;
• Aumento da longevidade celular;
• Aumento da síntese de proteínas;
• Redução de triglicerídeos sanguíneos;
• Melhoria da captação de glicose nas células;
• Diminuição do acúmulo de gordura no fígado;
• Aumento do número de novas mitocôndrias saudáveis;
• Aumento da queima de gordura armazenada (degradação de lipídeos);
• Reduz o armazenamento de gordura (reduz a síntese de lipídeos nos adipócitos).

Além disso, por modificar o metabolismo energético, lipídico e glicêmico, a ativação da AMPK também diminui os riscos de doenças cardiovasculares (Hipertensão, Hiperglicemia, Aterosclerose, Doenças hepáticas, Peso corporal, Doenças inflamatórias).

Se você procura um ativo que seja um potente ativador do AMPK, então precisa conhecer o DIPPIA.

DIPPIA – Potente ativador da Enzima AMPK

DIPPIA estimula os receptores da adiponectina (R1/R2) e consequentemente ativa a enzima AMPK. Com isso provoca uma cascata metabólica que gera efeitos benéficos no metabolismo dos carboidratos, proteínas e principalmente das gorduras. Com o estímulo da AMPK, o DIPPIA auxilia na modulação da expressão dos genes na atividade antiinflamatória e de fatores transcricionais, como:

• PFK-2 (Fosfofrutoquinase): regulação da glicose na corrente sanguínea;
• PGC1-a (Proteína Co-Ativadora Do Receptor Ativado Por Proliferador Do Peroxissoma): aumento de enzimas antioxidantes, beta oxidação e ATP. Regula as proteínas envolvidas na angiogênese (aumento do número de vasos sanguíneos), defesa antioxidante e beta oxidação;
• PPAR-a (Proliferador de Peroxissoma): age no metabolismo lipídico, redução de peso e aumento da sensibilidade insulínica;
• CPT-1 (Carnitina-Palmitoiltransferase): transfere os ácidos graxos de cadeia longa para a mitocôndria provocando a oxidação lipídica;
• M-TOR: Aumento da síntese proteica.


Tudo isso é feito de forma 100% natural através de um princípio-ativo de origem vegetal, eficiente na ativação da enzima AMPK e que não causa efeitos colaterais. A dose usual recomendada de DIPPIA é de 400 à 500mg ao dia, ou conforme a orientação do prescritor.

DIPPIA é um princípio ativo exclusivo VPK Farma, e pode ser encontrado nas principais farmácias de manipulação do país.

Tendências em Saúde e Beleza para o mercado magistral em 2021

Tendências em Saúde e Beleza para o mercado magistral em 2021

Os impactos da COVID-19 durante o ano de 2020 com certeza nos fizeram repensar aspectos relacionados ao nosso estilo de vida. A nova rotina, que em muitos casos inclui quarentena, isolamento social ou longas horas de home office, trouxeram mudanças que influenciaram o comportamento de compra e de consumo da população não apenas no Brasil, mas em nível global.

Sabemos que em 2021, as tendências irão muito além dos cuidados com a imunidade e higiene (principalmente das mãos). Alguns dos princípios ativos nutracêuticos e cosméticos que ganharam destaque em 2020 devido a nova realidade mundial, com certeza ainda serão muito procurados nos próximos anos. Seria este realmente o novo normal?

 

Nutracêuticos: Principais tendências

A preocupação dos brasileiros com a saúde é crescente.

Um estudo realizado pela NutriNet Brasil, uma iniciativa do Nupens/USP (Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo), apontou que a busca por uma alimentação mais saudável aumentou de 40,2% para 44,6% durante a pandemia. Em outro estudo realizado pela Abiad (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres), demonstrou que 48% dos entrevistados passaram a consumir mais suplementos e vitaminas.

Mas não viemos aqui falar de mais opções de suplementos vitamínicos e produtos para imunidade. Sabemos que o mercado para estes itens, está saturado de produtos quem prometem o aumento da imunidade em suas prateleiras, e essa concorrência se estende além das farmácias de manipulação, sendo comum encontrar opções também em drogarias, lojas de produtos naturais e até mesmo supermercados.

Desta forma, adiante, mostraremos algumas tendências de mercado, que talvez passaram despercebidas, mas que merecem a sua atenção.

 

1 – Controle da Glicemia

Mesmo em tempos pré COVID-19, o Diabetes já era considerado por muitos especialistas como uma pandemia, sendo uma das doenças silenciosas mais mortais da atualidade.

De acordo com o Atlas de 2019 da International Diabetes Federation, o Brasil já ocupa o 5° lugar no número de pessoas com Diabetes Mellitus tipo II, com mais de 16 milhões de indivíduos. Estima-se ainda que 7,7 milhões de pessoas já convivem com a doença, mas ainda não foram diagnosticadas. Talvez o dado mais alarmante seja de que aproximadamente 44% das mortes causadas pelo Diabetes são de pacientes com menos de 60 anos de idade. Estima-se ainda que mais de 40 milhões de brasileiros convive com o diagnóstico de pré-diabetes, destes mais de 25% irá desenvolver a doença dentro dos próximos 5 anos, segundo a SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes).

Apesar da preocupação crescente com a saúde desde o início da COVID-19, houveram mudanças da rotina que alteraram não apenas hábitos alimentares, mas também a prática de atividades físicas, estes fatores, aliados ao medo de realizar consultas médicas durante a pandemia, levou a uma piora de 59% nos casos de Diabetes Mellitus tipo II, como aponta o levantamento realizado pela SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) em parceria com diversos pesquisadores. Este é um dado extremamente preocupante, já que os pacientes diabéticos estão no grupo de risco para desenvolver o quadro mais grave da COVID-19.

Assim, os ativos com a capacidade de controlar a glicemia e dislipidemias relacionadas a Síndrome Metabólica (SM) em decorrência de possíveis complicações com o Diabetes se mostram uma alternativa, não explorada, para a manutenção da saúde.

 

Eriomin™ – Tripla-Ação no controle da hiperglicemia

Eriomin™ é um princípio ativo de origem natural composto por um blend de flavonoides cítricos que auxiliam no controle glicêmico. Eriomin™ possui eficácia comprovada na reversão da condição pré-diabetica.

 

2 – Tratamento da Dor

Uma pesquisa realizada UFMG, Unicamp e Fiocruz apontou que 41% dos brasileiros se queixaram de dores na coluna após o início da pandemia. Antes, essa taxa era de apenas 18%. De acordo com os pesquisadores, vários fatores podem ter contribuído para este aumento.

A necessidade de ficar mais tempo dentro de casa e respeitar as regras de distanciamento e isolamento social, dificultou a vida de quem praticava atividades físicas regularmente. A adesão ao home office por grande parte da população também favoreceu a população a trabalhar de maneira “improvisada”, sem assentos adequados para suportar os longos períodos sentado em frente ao computador. Além disso, a tensão e incertezas sobre o futuro aumentaram os níveis de estresse e ansiedade. Em resposta a estas mudanças o nosso organismo se manifesta muitas através do aumento da dor e inflamação em algumas regiões do corpo, como cabeça, coluna e pernas.

Talvez um dos maiores desafios para quem busca um tratamento adequado para a dor, é encontrar princípios ativos que sejam eficientes e que não possuam efeitos colaterais.

 

REPHYLL® – Alívio para a dor

REPHYLL® é um fitocanabinoide de origem natural, que se conecta seletivamente aos receptores CB2 do sistema endocanabinoide, aliviando a dor e a inflamação sem os efeitos colaterais limitantes, decorrentes da administração de analgésicos e anti-inflamatórios clássicos encontrados no mercado.

 

3 – Saúde Intestinal

Principalmente nos últimos 10 anos, muitas evidências científicas demonstraram que alterações na microbiota intestinal estão diretamente associadas a doenças neurológicas como: estresse, depressão, ansiedade e déficit de atenção. Estas alterações acontecem principalmente motivadas pela disbiose intestinal, comprometendo o bom funcionamento do eixo intestino-cérebro.

Os probióticos são excelentes aliados da saúde intestinal, favorecendo o desenvolvimento da microbiota intestinal saudável. Mas não podemos esquecer que esses microrganismos precisam ser devidamente “alimentados” para a sua manutenção. É aí que entram os Prebióticos.

Existem poucos prebióticos no mercado disponíveis em altas concentrações e que não provoquem efeitos colaterais como flatulência, constipação, dentre outros.

 

Olix 95 – O Prebiótico seletivo

Olix 95 é composto por açúcares não convencionais formados por unidades de xilose (xilooligossacarídeos – XOS), altamente concentrado e sem causar efeitos colaterais. Olix 95 possui efetividade em baixas doses, o que possibilita sua manipulação em diversas formas farmacêuticas.

Estudos demonstram um crescimento de Bifidobacterium de até 21% em apenas 4 semanas de utilização em comparação ao placebo.

 

 

4 – Saúde Mental

Como já falamos aqui, preparamos outro post sobre os impactos que a pandemia causou à Saúde Mental da população.

Entre Março e Abril de 2020, o psicólogo Alberto Filgueiras, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), realizou um estudo com 1.460 brasileiros de 23 cidades e 9 estados, este estudo apontou um aumento nos casos de ansiedade e depressão no Brasil, o número de ocorrências duplicou em um pouco mais de 1 mês. Indivíduos que sofrem com estresse agudo tiveram um aumento de 6,9% para 9,7%, já os casos de depressão subiram de 4,2% para 8%. E por último, os casos de crise aguda de ansiedade subiram de 8,7% para 14,9%.

É evidente que princípios ativos que favoreçam a saúde mental ainda podem ser muito explorados em 2021.

 

Apigenina – O flavonoide aliado da saúde mental

Nos últimos anos, diversos estudos foram realizados acerca deste desse flavonoide, normalmente encontrado na salsa, no tomilho e na camomila.

A Apigenina tem a capacidade de fornecer proteção ao sistema nervoso central e fortalecer as conexões cerebrais. Os pesquisadores apontam que ela também consegue atrasar o início de distúrbios psiquiátricos como a esquizofrenia e a depressão. Além disso, a Apigenina ainda possui ação ansiolítica, através da modulação dos receptores GABA.

 

 

Cosméticos: Principais tendências

A pandemia também trouxe diversas mudanças na rotina de cuidados com a higiene pessoal e beleza.

Apesar da estimativa de crescimento em 2020 para os produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos realizada antes da pandemia para o mercado nacional ter sido de mais de 5%, atingimos “apenas” a marca de 1,1%, mas podemos considerar este resultado como um saldo positivo. Não podemos deixar de consideram também, que o consumidor brasileiro é apaixonado por beleza, colocando o Brasil em 4º lugar no ranking mundial de países que mais consomem os produtos do setor.

Em 2020, a COVID-19 deu ao mercado uma outra direção, influenciando novos hábitos de consumo que prometem perdurar mesmo após a pandemia. Uma matéria publicada pela revista VOGUE, que consultou grandes indústrias do setor, constatou que o brasileiro adquiriu profundos hábitos relacionados ao autocuidado, e busca por um consumo mais consciente, atentando-se tanto às formulações quanto à sua procedência.

 

 

1 – Clean Beauty

Tendência que segue forte mundo afora também vem se consolidado no Brasil. Como comentamos, o consumidor brasileiro está buscando por um consumo mais consciente, e procura saber mais a fundo a procedência dos produtos que consome. A sustentabilidade tornou-se finalmente relevante.

O processo de produção, certificação e escolha de matérias primas tem sido observado mais de perto pelo consumidor. Produtos naturais, desenvolvidos a partir de certos padrões éticos e que colaborem para a preservação do meio ambiente devem ganhar força não apenas em 2021, espera-se que esta seja uma tendência que se consolide no futuro.

 

Formulações Clean Beauty

A VPK Farma conta com um extenso portifólio de princípios ativos certificados pelas principais agências reguladoras do mundo, que se enquadram dentro do conceito de beleza limpa. Consulte-nos.

 

 

2 – Produtos Anti-acne e para o controle da oleosidade

Um dos temas mais comentados nos consultórios dermatológicos em 2020 foi a MASKNE – a acne decorrente do uso diário de máscaras faciais. Com isso, a procura por formulações anti-acne e seborreguladoras aumentaram sensivelmente.

Estudos indicam que o aumento da acne em adultos está atrelado ao uso constante de máscaras faciais, que provocam atrito, aumentam a temperatura e a umidade da área coberta, contribuindo para o aumento da oleosidade na região. Alterações na rotina que levaram a mudanças alimentares e as atuais situações de estresse por conta da pandemia, acabaram por agravar o problema.

O panorama atual nos dá indícios de que ainda iremos utilizar as máscaras faciais por um bom tempo, portanto, formulações desenvolvidas para combater os efeitos da MASKNE ainda podem ser muito exploradas este ano.

 

Seboclear™-DB, Sepicontrol™ A5 e Defensil®-Plus – no combate à MASKNE

Seboclear™-DB e Sepicontrol™ A5 controlam a oleosidade e ajudam a eliminar a acne e os comedões, com eficácia comprovada de até 70%. Por sua vez, Defensil®-Plus irá aliviar os sintomas relacionados a sensibilidade e a inflamação.

 

 

3 – Produtos anti-queda capilar

Além dos problemas com a MASKNE, em 2020 os consultórios dermatológicos também foram bombardeados com casos severos de queda capilar. Para designar o Eflúvio (queda capilar) durante a pandemia da COVID-19, deu-se o nome EfluVid.

Os fios possuem três fases: a fase de crescimento conhecida como “Fase Anágena”, repouso “Fase Catágena” e queda conhecida como “Fase Telógena”. Em situações normais, perdemos cerca de 100 a 120 fios de cabelo por dia. Porém, quem sofre com a EfluVid, chega a perder 200 ou até mesmo 300 fios de cabelo diariamente.

O motivo do aumento da queda capilar está diretamente relacionado às condições de estresse, além de mudanças nos hábitos alimentares e de higiene pessoal.

 

Bioenergizer™ P e BIO•FATORES – no combate à EfluVid

Formulações que estimulam o bulbo capilar e que aumentem a densidade dos fios auxiliam no combate à EfluVid. Bioenergizer™ P cumpre exatamente esta função, além de regular a oleosidade.

Por sua vez os Fatores de Crescimento ajudam de forma eficaz a impulsionar o crescimento capilar. Os BIO•FATORES são desenvolvidos diretamente de sua forma bioativa, aumentando sua biodisponibilidade e efetividade no tratamento da queda capilar.

 

 

4 – Proteção contra a luz azul e radiação Wi-Fi

Com o isolamento social ficamos ainda mais expostos a radiação emitida pelos dispositivos eletrônicos. Estamos mais tempo em frente as telas de computadores, smartphones, tablets e televisores, dessa forma a nossa pele está suscetível a ação dos radicais livres oriundos da radiação Wi-Fi e a luz azul.

De acordo Universidade de Toledo, nos Estados Unidos, um estudo demonstrou que a luz emitida pelos dispositivos eletrônicos contém ondas que se assemelham a luz solar, e a exposição a luz azul de alta intensidade pode levar ao fotoenvelhecimento e danificar a barreira de proteção da pele.

Os efeitos deletérios da radiação Wi-Fi e luz azul talvez sejam bem difundidos mundo afora. Mas no Brasil, este conceito, conhecido como Eletrosmog ainda tem muito a ser explorado. O farmacêutico Lucas Portilho afirmou à revista VOGUE: “Essas ondas estão em todos os lugares, em casa, na rua, no escritório e ao entrarem em contato com nossa pele, aceleram a produção de radicais livres, liberam mensageiros pró-inflamatórios e deixam o tecido mais suscetível a agressores ambientais, como a radiação ultravioleta e a poluição atmosférica”.

 

Radicare®-GOLD – Proteção da pele contra a Luz Azul e a Radiação Wi-Fi

Este princípio ativo de origem Suíça possui estudos que comprovam a sua eficácia na proteção da pele contra os efeitos nocivos da Luz Azul e também da Radiação Wi-Fi. Por conta de sua proposta inovadora, Radicare®-Gold recebeu o 3° lugar na Innovation Prize of Natural Products em 2019 na Europa.

 

 

5 – Cuidados com as mãos

A utilização massiva (e necessária) do álcool em gel aliado à rotina diária de higienização das mãos com sabonetes ou detergentes comuns, fez com que o consumidor brasileiro aumentasse a procura por ativos hidratantes afim de aliviar o ressecamento da pele das mãos.

O álcool em gel foi tão difundido e inserido em nosso dia a dia nos últimos meses, que os cuidados com a hidratação parecem inevitáveis. Essa rotina de cuidados com as mãos promete se tornar um hábito mesmo após a pandemia.

 

Myramaze® – Hidratação por mais de 48h

Com apenas uma única aplicação, Myramaze® hidrata a pele por mais de 48 horas, reforça a barreira da pele sensível, revitalizando e melhorando visivelmente a sua textura. Myramaze® também pode ser utilizado para tratar eficientemente pacientes com dermatite atópica.

 

 

BONUS – Produtos Anti-aging

De acordo com um levantamento realizado pela ABIHPEC (Associação Brasileira de Produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), de Janeiro a Maio de 2020, houve um aumento de 14,7% nas vendas de cosméticos anti-rugas/sinais/idade.

As pessoas que estão passando mais tempo em casa têm mais disponibilidade para realizar seus rituais de beleza. Além do autocuidado, essa rotina impacta positivamente na saúde mental e na autoestima das pessoas.

A tendência, é que formulações anti-aging continuem em alta ainda em 2021.

 

Reallagen™ + MoriKol® – revolução no tratamento anti-aging de uso IN/OUT

OUT – Reallagen™ foi um dos princípios ativos anti-aging mais comentados entre os prescritores em 2020. Com eficácia comprovada, Reallagen™ diminui rugas e linhas de expressão em até 60% em apenas 10 semanas de aplicação. Reallagen™ ainda conta com a sua forma de apresentação em esferas, quem vem conquistando clientes nas farmácias de manipulação de todo o Brasil.

IN – Novidade para o mercado magistral, MoriKol® é também um grande aliado da rotina de cuidados skin care. Composto por peptídeos de colágeno marinho, MoriKol® possui maior biodisponibilidade e maior biocompatibilidade comparado a outros peptídeos de colágeno de origem animal, graças a sua padronização de no mínimo 15% de tripetídeos. MoriKol® também possui maior eficácia em menores dosagens (a partir de 500mg), o que facilita a sua manipulação em cápsulas. MoriKol® ainda protege a pele das Metaloproteinases oriundas da radiação solar, que degradam as fibras de colágeno.

 

A farmácia de manipulação nos traz todo um universo de possibilidades. O desenvolvimento e a personalização de produtos podem abranger as mais diferentes necessidades e indicações dos pacientes, se adaptando e fornecendo produtos individualizados, enquanto os produtos industrializados possuem pouca ou nenhuma flexibilidade. Acompanhar e contribuir com as tendências nas mais diversas áreas de atuação das farmácias é fundamental para o desenvolvimento de um mercado magistral sólido e prospero.

Peptídeos de colágeno marinho: eficácia e versatilidade na manipulação

Peptídeos de colágeno marinho: eficácia e versatilidade na manipulação

O colágeno está naturalmente presente no corpo humano e representa cerca de 25% a 30% do total de proteínas do nosso organismo, sendo essencial para a saúde da pele, dos ossos, das articulações, e até mesmo das unhas e dos cabelos. Existem mais de 20 tipos de colágeno, mas os principais são os tipos I, II e III.

A dificuldade em garantir que a quantidade de colágeno ingerida exclusivamente através da alimentação seja suficiente para o bom funcionamento do nosso organismo, faz com que a suplementação oral de colágeno seja uma alternativa eficiente e que vem sendo utilizada para a manutenção da saúde e da beleza.

Geralmente encontramos o colágeno sendo comercializado de 2 formas:

Colágeno Hidrolisado: A estrutura básica da proteína de colágeno é formada por 3 cadeias de polipeptídeos (aminoácidos interligados entre si, geralmente Glicina, Prolina e Hidroxiprolina) denominadas alfa-hélices, entrelaçadas em formato helicoidal que por sua vez irão se organizar através de um processo complexo a fim de formar as fibras colágenas. O colágeno hidrolisado nada mais é que a redução ou a “quebra” do colágeno In Natura, em fragmentos menores através de um processo conhecido como “hidrólise”. Este processo possui a finalidade de melhorar sua absorção pelo organismo. Uma vez que esta “quebra” geralmente não é realizada de forma padronizada, e o colágeno hidrolisado apresenta uma composição heterogênea com vários tamanhos diferentes de moléculas, o que na prática, acaba por dificultar sua absorção e sua eficácia, e por isso possui um custo inferior.

Peptídeos de Colágeno: Obtido a partir do colágeno hidrolisado, estas moléculas de colágeno são “quebradas” e “escolhidas” seletivamente, apresentando peso e tamanho inferiores ao encontrado no colágeno hidrolisado, variando de 2 a 100 aminoácidos enquanto a molécula de colágeno possui ~3000 aminoácidos. Isso melhora sua biodisponibilidade e biocompatibilidade, facilitando sua quebra e absorção pelo organismo. Uma vez no organismo, os peptídeos são separados em forma de aminoácidos livres são direcionados pelo organismo para o local onde eles forem mais necessários, podendo ou não se estruturarem novamente em forma de colágeno. Mesmo assim, sua eficácia (e custo) é superior ao colágeno hidrolisado.

Tripeptídeos de Colágeno: São comumente formados por uma combinação de 3 aminoácidos essenciais na estruturação da molécula de colágeno – Glicina, Prolina e Hidroxiprolina, sendo considerados o menor fragmento de uma molécula de colágeno. Assim como os peptídeos de colágeno, são melhor absorvidos pelo organismo. A diferença, é que os tripeptídeos não são digeridos ou “quebrados” em aminoácidos livres, sendo absorvidos no organismo através de um transportador VIP e desta forma sendo reconhecidos pelo corpo humano como parte integrante de uma molécula de colágeno, assim, a probabilidade de que se reestruturem novamente dentro do organismo em forma de colágeno é muito maior. Estes tripeptídeos são normalmente encontrados em baixíssimas doses dentro dos próprios peptídeos de colágeno já conhecidos, porém não possuem padronização de concentração dentro destes compostos.

 

Principais fontes de colágeno

Tanto o colágeno hidrolisado quanto os peptídeos de colágeno, são extraídos da pele, cartilagens e ossos de animais, de origem suína, bovina ou até mesmo de aves ou peixes. Após sua extração, o colágeno In Natura passa pelo processo de hidrólise, dando origem ao colágeno hidrolisado como vimos acima.

No entanto, dentro de um processo de produção em massa pode haver muito desperdício, o que vai na contramão de quem busca por produtos e soluções de consumo mais sustentáveis.

 

MoriKol® – fonte sustentável e “clean label” de colágeno marinho

Comercializado com exclusividade para o mercado nacional pela VPK Farma, MoriKol® é uma alternativa sustentável e mais eficiente aos peptídeos de colágeno tipo I tradicionais encontrados no mercado brasileiro. MoriKol®, difere de outros peptídeos de colágeno por ser de origem marinha, sendo obtido através de peixes de águas mornas, além disso, MoriKol® é um produto Clean Label (Non-GMO / Non- Irradiated/ Non -ETO/ BSE-Free/ TSE- Free/ Halal e Kosher certified), sendo desenvolvido a partir de uma política de 0 desperdício, focada na sustentabilidade e no meio ambiente.

 

MoriKol® – padronização comprovada de no mínimo 15% de tripeptídeos de colágeno

Apenas MoriKol® possui padronização comprovada de no mínimo 15% de tripeptídeos de colágeno em sua composição. Além disso, possui baixo peso molecular (~1500Da) proporcionando uma maior biodisponibilidade e biocompatibilidade com o organismo quando comparado a outros peptídeos de colágeno tipo I. Veja os benefícios:

– Maior eficácia em menores dosagens. A partir de 500mg ao dia;
– É versátil e pode ser manipulado em diversas formas farmacêuticas: pó, gomas, cápsulas, sachês, shots, dentre outras;
– Resultados mais rápidos (comprovados!): a partir de 6 semanas de utilização;
– Possui ação comprovada na inibição das metaloproteinases (MMPs) geradas pela exposição à radiação UVB;
– Promove alta hidratação cutânea;
– Aumenta a elasticidade cutânea;
– Diminui e previne a rugosidade da pele;

MoriKol® é um produto exclusivo VPK Farma e pode ser encontrado nas farmácias de manipulação de todo o país. Para obter melhores resultados, MoriKol® pode ser inserido em um protocolo de tratamento de uso IN/OUT em conjunto com REALLAGEN™, nosso Booster Biomimético de Colágeno Tipo III.

O isolamento social e a saúde mental

O isolamento social e a saúde mental

O impacto na saúde da população mundial gerado pela pandemia do Coronavírus sars-cov2 ou mais popularmente conhecido como COVID-19, pode ser considerado um dos maiores da história. O vírus se espalhou rapidamente por todo o mundo, acarretando em centenas de milhões de infectados e mais de 1 milhão de óbitos.

No Brasil, o isolamento social implementando nas cidades e grandes centros urbanos na tentativa de conter o avanço da pandemia, vem se mostrando a medida mais eficaz contra o seu contágio, porém, os efeitos colaterais relacionados à saúde mental das pessoas socialmente isoladas, vem sendo objeto de estudo por pesquisadores e universidades mundo afora.

O convívio social foi diretamente afetado pelo novo Coronavírus. Durante a pandemia, jornadas de trabalho em escritórios se transformaram em longas horas frente ao computador no sofá de casa, muitas vezes sem hora para terminar, as reuniões com amigos e familiares foram substituídas por chamadas de vídeo, almoços/jantares em restaurantes foram substitutos por aplicativos e sistemas de delivery, passeios de final de semana foram substituídos por intermináveis horas em frente à TV ou à tela de um smartphone. Todos estão passando mais tempo em casa.

Apesar da liberação parcial de funcionamento de estabelecimentos comerciais e todas as medidas de higiene e segurança adotas, o clima ainda é de incerteza, e gera insegurança principalmente para quem vive nos grandes centros urbanos, onde o contágio é mais difícil de ser contido.

Em relação ao mercado de trabalho, tudo também é muito nebuloso. Salários foram reduzidos, empregos foram cortados e estabelecimentos comerciais foram fechados, aumentando ainda mais a tensão no país, que possui um custo de vida elevado.

Todas essas mudanças impactaram diretamente a vida da população, e problemas relacionados à saúde mental começaram a se multiplicar. Estresse, ansiedade e depressão andam na contramão das medidas necessárias de combate à pandemia.

De acordo com a última pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2017, cerca de 11,5 milhões de pessoas sofrem com a depressão no Brasil. Entre Março e Abril de 2020, o psicólogo Alberto Filgueiras, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), realizou um estudo com 1.460 brasileiros de 23 cidades e 9 estados, que apontou que os casos de ansiedade e depressão Brasil duplicaram em um pouco mais de 1 mês.

O número de indivíduos que sofrem com estresse agudo subiu de 6,9% para 9,7%. Os casos de depressão subiram de 4,2% para 8%. E por último, os casos de crise aguda de ansiedade subiram de 8,7% para 14,9%.

 

Jovens e adolescentes também são afetados

O isolamento social também impactou a vida de jovens e adolescentes. Ver os amigos, frequentar as aulas, ou ter qualquer tipo de convívio social vem se tornado uma tarefa difícil após a nova rotina de cuidados para o enfretamento da COVID-19.

Embora eles entendam a importância das medidas de isolamento social, a pandemia gerou impactos profundos na qualidade de vida desses jovens. O instituto Young Minds, organização não governamental que luta pela saúde mental de jovens e adolescentes, relatou um aumento significativo de ligações para o instituto, que hoje, recebe mais de 1000 ligações por dia e 25% destas, estão relacionadas ao Coronavírus. Dentre os atendimentos sobre o Coronavírus, 60% envolvem questões relacionadas à ansiedade.

O medo do contágio, de perder o ano letivo, as incertezas relacionadas ao futuro e a perda do contato com os amigos, são algumas das principais queixas desses jovens.

 

Impactos à saúde dos idosos

A saúde mental da população idosa também é motivo de preocupação. O medo do contágio da doença e o distanciamento da família podem desencadear transtornos de ansiedade e depressão. Por isso, devemos observar os idosos mais de perto.

A coordenadora da Comissão Especial COVID-19 da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Maisa Kairalla, alerta sobre a necessidade de termos atenção especial para os idosos nesse momento. A especialista recomenda observar os gestos, a fala e olhares dos mais idosos, afim de detectar algum sinal de risco. Conversas por telefone e videochamadas podem ser essenciais para manter os laços afetivos e notar possíveis problemas que os estejam afligindo.

 

Cuidando do corpo e da mente

Todo e qualquer distúrbio relacionado a saúde mental requer ajuda profissional e, em alguns casos, medicamentos específicos. É muito difícil vencer um quadro depressivo sozinho, além do auxilio profissional, o suporte da família e amigos também é muito importante neste momento.

Alguns hábitos podem ser de grande ajuda para afastar a ansiedade e a depressão. A pratica de exercícios físicos, manter uma dieta equilibrada, realizar uma nova atividade ou adquirir um novo hobby, e selecionar bem os horários de acompanhar as notícias, podem ter fundamental importância nos impactos do isolamento social.

Cuidado também com as Fake News (notícias falsas) e o conteúdo que você acompanha nas redes sociais. Procure sempre por informações de fontes confiáveis e evite as correntes transmitidas por aplicativos de mensagens.

Acima de tudo, respire fundo! Especialistas afirmam ser perfeitamente normal se sentir um pouco desmotivado durante este período, e não necessariamente isso está relacionado a ansiedade ou depressão. É um momento em que entendemos a nossa própria fragilidade e precisamos aprender a conviver com tudo isso que estamos vivenciando.

 

Princípios ativos manipulados para a saúde mental

Alguns princípios ativos manipulados podem auxiliar a manter a saúde mental e afastar a ansiedade e a depressão, dentre eles, recomendamos a Apigenina e a Citicolina.

A Apigenina é um flavonoide encontrado na salsa, no tomilho e na camomila, que possui ação neurológica eficiente e potente ação antioxidante. Estudos demonstram a capacidade da Apigenina em fortalecer as conexões cerebrais e de afastar alguns distúrbios psiquiátricos como a ansiedade e a depressão.

A Citicolina, por sua vez, possui ação neuro-regeneradora, protegendo e regenerando as membranas que envolvem as células neuronais, além de aumentar a capacidade de foco e concentração. A Citicolina também eleva os níveis de neurotransmissores importantes, como a serotonina por exemplo, que aumenta a sensação de felicidade.

Apesar de ambos princípios ativos não exigirem prescrição, converse com o seu médico e siga as suas orientações.

Dor: principais causas e tratamentos

Dor: Principais causas e tratamentos

Afinal, o que é DOR?

Quando batemos o cotovelo em uma quina da parede, ou quando damos aquela topada com o dedinho do pé ou então cortamos o dedo com uma folha de sulfite, nesse momento, impulsos elétricos são enviados para o nosso cérebro que por sua vez, reconhece este comendo e envia como resposta uma sensação incomoda que sentimos instantaneamente como sinal de alerta, este sinal é conhecido como “dor”.

A dor é completamente subjetiva e pessoal, podendo variar de indivíduo para indivíduo. Suponhamos que 2 pessoas totalmente saudáveis sejam expostas ao mesmo estímulo, um beliscão no dorso da mão, a percepção de dor (ou nível da dor) de uma pessoa pode ser completamente diferente da outra, mesmo sendo expostas ao mesmo estímulo e sob as mesmas condições.

Por mais que esteja relacionada há um dano tecidual real ou potencial, o que é doloroso para uns, pode não ser doloroso para outros. Tudo depende de como o cérebro interpreta estes estímulos.

Junior Cigano, lutador de MMA, certa vez relatou em uma matéria para o portal de notícias BOL, que prefere levar vários socos no rosto do que ser picado por uma agulha (coisa que a maioria das mulheres tiram de letra). “Quando vou ao médico digo que prefiro 30 socos na cara a enfiarem esse negócio em mim (agulha)”, e complementa, “Na luta existe a sensação de que eu posso me proteger, mas no consultório estou à mercê do médico e só posso aceitar as determinações dele”, se referindo aos exames de rotina que lutadores de MMA são submetidos de forma rotineira.

A dor apresenta características singulares a cada indivíduo, envolvendo fatores psíquicos, socias e até mesmo culturais. O meio em que vivemos pode alterar por completo a nossa percepção da dor. Quando sofremos uma injúria dolorosa, a reação de um ente querido frente ao ocorrido, pode tornar o incidente muito mais doloroso do que realmente é.

 

Por que sentimos Dor?

Apesar da sensação desagradável que a dor nos propicia, ela é vital para o ser humano. A dor é um sinal de alerta, quando sentimos dor, o estímulo instantâneo que ela provoca é de que nós devemos nos afastar daquilo que a causou.

Já imaginou se não sentíssemos dor ao pisar num prego por exemplo? Nós jamais saberíamos do dano que ele teria causado. Queimaduras graves, fraturas e diversas doenças poderiam ter repercussões catastróficas, podendo levar a problemas mais sérios ou até mesmo a morte.

A dor é, portanto, um mecanismo de defesa do ser humano, sendo considerado um sinal vital tão importante quanto a respiração ou a frequência cardíaca.

Os Nociceptores, são sensores presentes em nossa pele, músculos e ossos, e são responsáveis por transformar o estímulo doloroso em impulso elétrico que será levado até o cérebro causando a sensação da dor. O “Mecanismo da Dor” pode ser dividido em 4 etapas, conforme o esquema a seguir:

Os Diferentes tipos de Dor

A Dor é considerada Aguda, quando tem duração inferior a 12 semanas. Normalmente, a dor aguda é decorrente de lesões teciduais ou processos inflamatórios. Quando a dor se estende além desse período, é considerada Crônica e deverá ser acompanhada de tratamento.

A dor crônica pode provocar uma série de reações que se desenvolvem gradualmente, como: cansaço, distúrbios do sono, diminuição do apetite, perda do paladar, diminuição da libido, constipação intestinal. Tudo isso faz com que a dor tenha impactos sociais à vida do indivíduo, podendo acarretar em problemas familiares, no trabalho e em outros pilares da convivência social.

Há também um terceiro tipo de dor, a dor Recorrente, que é caracterizada por períodos de curta duração que cessam e retornam novamente, podendo se estender ao longo de toda a vida do indivíduo.

A dor crônica ou persistente pode se subdividir em 2 tipos, de acordo com o mecanismo pelo qual foi gerada:

Nociceptiva: Resultante da ação direta dos Nociceptores, em resposta a uma lesão tecidual na pele, músculos ou ossos. O estímulo doloroso poderá ser de origem mecânica, química ou térmica.

Neuropática: Lesão ou doença que tem origem no sistema nervoso periférico ou sistema nervoso central. Quem sofre com a dor neuropática normalmente enfrenta problemas físicos e psicológicos, sendo, portanto, mais difícil de se diagnosticar e tratar.

 

A dor no esporte

Atletas de todas as modalidades têm convívio contínuo com a dor. O Excesso de treino, pouco descanso entre as competições, levam o corpo humano ao limite, estes e outros fatores, geralmente são percursores das dores articulares e crônicas.

Foi cientificamente comprovado, que atletas de modalidades como o MMA, futebol e Rúgbi tem maior tolerância a dor do que atletas de outras modalidades, por estarem em convívio constante com a dor.

Mas alguns desses atletas acabam respondendo de maneira diferente a estes estímulos. Estudos comprovam que a exposição prolongada a dor para alguns indivíduos pode estender ainda mais a sensação de dor a longo prazo. Isso ocorre porque as células do local afetado passam a responder mais rápido aos estímulos dolorosos. Com isso, muitos ex-atletas passam a se queixar de dores nas articulações e outras estruturas como o joelho e coluna, que sofrem atrito constante devido ao esporte.

Atletas também convivem constantemente com a DOMS (Dor Muscular de Inicio Tardio). A DOMS caracteriza-se como a dor que sentimos algumas horas depois da pratica esportiva e podendo permanecer por até 48h após a atividade física. Quando essa dor é intensa ou perdura por longos períodos, pode ser indício de alguma lesão a ser tratada.

Os analgésicos podem até parecer a solução, mas a série de efeitos colaterais provocados e o fato de prejudicar o desenvolvimento da musculatura, costumam levá-los de heróis a vilões, sendo, portanto, melhor utilizados em situações de maior necessidade.

 

É possível medir o nível da dor?

Infelizmente, ainda não existe nenhum equipamento que possa medir ou escalonar o nível da dor. Como dito anteriormente, a dor é pessoal e única, podendo ser interpretada e escalonada de acordo com a percepção de cada indivíduo.

Porém, em consultórios médicos, é utilizado um instrumento (normalmente uma régua) com a escala visual analógica EVA da dor. A escala foi utilizada pela primeira vez por Hayes e Patterson em 1921.

A escala, deve ser lida da esquerda para a direita, de 0 a 10, e é utilizada para rastrear a progressão da dor durante o processo de tratamento do paciente.

 

 

A escala EVA também é utilizada para medir outras sensações, como o humor, apetite, qualidade do sono e etc. Existem evidências conflitantes relacionadas a eficácia da escala EVA, porém, ainda é o método mais utilizado dentro de clínicas e consultórios médicos.

 

Principais causas da dor

Doenças, lesões, progressão da idade, dentre outras causas que podem ser originadas por conta de alguns hábitos do cotidiano, podem trazer consequências sérias a saúde.

Idade – De acordo com a Sociedade Brasileira do Estudo da Dor (SBED), cerca de 2/3 da população idosa sofre com algum tipo de dor. Com o avanço da idade, o corpo fica mais frágil, há perda de musculatura e massa óssea e o sistema imunológico não possui mais a mesma capacidade de proteção contra doenças e infecções. Doenças relacionadas a saúde óssea são extremamente comuns nessa fase da vida.

Alimentação inadequada – A má alimentação pode trazer sérias consequências à saúde, facilitando tanto o surgimento de doenças quanto favorecendo o aparecimento de dores e lesões já existentes. Frituras, embutidos, gorduras, açúcar e o álcool provocam a ação intensificada dos radicais livres e dos processos inflamatórios.

Sedentarismo – A musculatura fica fraca, fica mais difícil de controlar o peso na balança e a energia desaparece. Dores nas costas e membro inferiores podem se tornar recorrentes e outros problemas de saúde podem surgir.

Sobrepeso e Obesidade – Normalmente são associados ao sedentarismo e a má alimentação. Quando ganhamos peso, a musculatura começa a perder a capacidade de sustentar o peso do corpo por si só, podendo provocar dores musculares e articulares, principalmente nos membros inferiores. O ganho de peso também facilita o surgimento de diversas outras doenças, o que torna a obesidade uma das maiores vilãs da saúde.

Exercitar-se da maneira errada – O exercício físico pode ser a solução contra o sedentarismo, porém, se praticarmos a atividade física da maneira equivocada ou levarmos o nosso corpo além do limite, lesões e outros problemas podem surgir com facilidade. Na fase inicial da prática esportiva, a orientação de um profissional é essencial para obtermos melhores resultados e evitar possíveis lesões decorrentes da prática esportiva.

Estresse, ansiedade e distúrbios do sono – Um problema pode levar ao outro, e ambos dificultam o bom funcionamento do organismo. São capazes de elevar a sensibilidade a dor e diminuem a capacidade analgésica natural do cérebro. Estresse, ansiedade e noites mal dormidas também podem favorecer a má alimentação, o sedentarismo e o ganho de peso.

 

Tratamento para a dor

O primeiro passo é identificar a origem da dor para assim, poder trata-la. A medicação se torna crucial para o tratamento, sobretudo, da dor crônica. Outras medidas importantes também podem ser adotas em conjunto com os medicamentos para solucionar o problema.

A terapia medicamentosa pode ser composta analgésicos e anti-inflamatórios, ou até mesmo opioides no caso das dores agudas e crônicas. A despeito da dor crônica, principalmente a neuropática, o paciente pode enfrentar problemas psicológicos por conta da dor incessante, e outros tipos de medicamentos podem ser incluídos na terapia.

Em alguns casos mais graves, dependendo de sua origem, a dor pode permanecer por toda a vida do paciente, e além do auxílio médico, o auxílio psicológico deve ser incluído no tratamento. A impossibilidade de realizar certas atividades e/ou problemas com o convívio social podem além de agravar a dor, gerar outras enfermidades relacionadas a saúde mental.

Atividades que funcionam como terapias alternativas e complementares podem ajudar o tratamento. Além das atividades físicas, as massagens terapêuticas, meditação, e até mesmo a acupuntura podem auxiliar no combate ou na melhora da dor. Mas lembre-se de consultar o seu médico antes de iniciar uma atividade de qualquer espécie.

 

Rephyll – Alívio para a dor (sem efeitos colaterais)

Medicamentos prescritos para o tratamento da dor, como analgésicos, anti-inflamatórios e opioides podem até resolver momentaneamente um problema, mas por apresentarem uma série de efeitos colaterais como dores de estomago, diarreia ou constipação, náuseas, entre muitos outros, acabam se tornando tão incômodos quanto a dor original.

Como alternativa, a Vepakum Farma trouxe com exclusividade REPHYLL® para o mercado brasileiro. REPHYLL® é um Fitocanabinóide, e o β-Cariofileno presente em REPHYLL® se liga seletivamente aos receptores canabinóides CB2, proporcionando o alívio para dor.

Além de possuir propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, REPHYLL® não causa efeitos colaterais, presentes em outros produtos do mercado. REPHYLL® é um produto VEGANO e 100% natural.

Setembro Amarelo: Vamos falar sobre empatia?

Setembro Amarelo: Vamos falar sobre empatia?

A empatia é caracterizada pela capacidade do indivíduo de se colocar no lugar do outro, ou seja, tentar entender seus sentimentos para, assim, compreender as suas atitudes. A empatia é também a capacidade de lidar com a dor alheia, buscando entender o ponto de vista do outro, exercendo generosidade e tolerância.

Com certeza você já deve ter ouvido um parente ou alguém próximo sendo atacado durante um momento de tristeza ou choro “ah, ele/ela está com frescura”, ou durante um momento de irritabilidade “nossa, que falta de educação!”, ou então durante um momento de reclusão “Como ele é antissocial, não é?!”. Porém, atitudes como essas não devem julgadas e sim observadas mais de perto, pois podem ocultar um problema maior, que deve ser levado a sério: a depressão.

Alguns sintomas são recorrentes e devemos ficar atentos, como:

-Alterações no apetite, tanto para mais quanto para menos.
-Problemas com insônia ou excesso de sono;
-Cansaço ou falta de energia;
-Sensação de fracasso e culpa excessiva;
-Dificuldades de concentração (no trabalho ou em tarefas rotineiras do dia a dia)
-Pensamentos suicidas;
-Baixa autoestima,
-Alteração da libido.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a depressão é uma doença psiquiátrica crônica que acomete mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo. E infelizmente, destes, 800 mil pessoas acabam se suicidando todos os anos.

Iniciamos este Setembro Amarelo, deixando um sinal de alerta para a os sinais de depressão que podem levar ao suicídio. Depressão é uma doença GRAVE, e devemos estar sempre atentos aos indícios em nossos amigos e familiares e até em nós mesmos, porque não?
Mas lembre-se a empatia e o apoio ao próximo são essenciais para que este paciente seja corretamente diagnosticado, devemos ainda encorajá-los a buscar ajuda e um diagnóstico que somente poderá ser realizado por um profissional médico qualificado.

 

Depressão e fitoterápicos

Você sabia que alguns fitoterápicos possuem benefícios para os quadros de ansiedade e depressão sem causar efeitos colaterais (e dependência).
Mesmo sendo de origem natural, os fitoterápicos têm efeitos semelhantes às drogas sintéticas, mas devemos ficar atentos à sua origem. Se você for mandar manipular, vá até uma farmácia com manipulação de sua confiança.
Dentre estes fitoterápicos podemos destacar a Melissa, a Passiflora e a Camomila.
A Camomila por sua vez contém altas concentrações de um flavonoide com excelentes propriedades para a saúde cerebral: a Apigenina.

 

Apigenina: Um potente aliado da saúde cerebral

A Apigenina é um flavonoide do grupo das flavonas encontrado em alguns alimentos como a camomila, salsa e tomilho. Este ativo ainda possui ações secundárias antioxidantes e anti-inflamatórias.

A Apigenina promove efeito calmante e ansiolítico, devido a sua capacidade de modulação dos receptores GABA no cérebro e sua capacidade de se ligar aos receptores do hormônio estrógeno, evitando a progressão de doenças neurodegenerativas. A Apigenina possui ainda a capacidade de aumentar a formação de neurônios e fortalecer a comunicação entre eles.

A Vepakum Farma trás este ativo que possui uma série de benefícios cientificamente comprovados, principalmente quando falamos de saúde cerebral. A Apigenina pode ser encontrada em Farmácias com Manipulação de todo o país.

Mas lembre-se: Cultivar o hábito de ser empático tem impacto não só para quem é alvo da empatia. Quem pratica também percebe uma sensação de positividade e bem-estar.

editada

ESPECIAL DOS PAIS: para homens que gostam de se cuidar…

O público masculino vem adotando hábitos que visam beleza e bem-estar, afinal, cuidar da aparência é sinônimo de saúde.

Foi-se o tempo em que os cuidados se limitavam apenas a higiene pessoal, e o sabonete era a solução número 1 de beleza, utilizado para o corpo, rosto e em alguns casos, até mesmo os cabelos no lugar do shampoo.

Hoje em dia, eles estão mais vaidosos e estão se tornando mais ávidos por inovações cosméticas. Em resumo, o homem contemporâneo espera produtos personalizados que ofereçam benefícios reais, tanto para o rosto, corpo e cabelos.

 

A barba: veio para ficar.

O corpo masculino tem características únicas, e barba, é uma delas. Ela ajuda a proteger o rosto das agressões externas – como radiação solar e poluição.

O aumento das barbearias especializadas e a força de influenciadores aumentam as oportunidades no segmento. Os produtos para o tratamento e higiene da barba, cabelo e bigode estão em alta, e os lançamentos procuram conquistar o público masculino, oferecendo produtos de alto desempenho e ativos selecionados.

Principais cuidados com a barba:

Para que a barba não fique com aspecto desagradável, ela necessita de cuidados especiais e uma rotina de manutenção adequada. A barba deve ser lavada diariamente e os pelos aparados com frequência.

Por serem mais espessos e mais ressecados que os pelos do couro cabeludo, é importante manter a região sempre hidratada com produtos específicos. Os fios ficarão mais brilhantes, nutridos e fáceis de pentear.

Para quem não gosta de barba: É comum que os homens desenvolvam a pseudofoliculite, pequenas bolinhas vermelhas, que podem apresentar pus. Isso acontece porque os pelos raspados, quando crescem, não conseguem atravessar a pele. Para evitar o problema, é importante aplicar um produto pré-barba, a fim de amaciar os fios. Além disso, indica-se também espumas específicas e dermocosméticos pós-barba, também conhecidos como bálsamos, que acalmam a região.

 

O Rosto: já negligenciado no passado, e agora, o novo queridinho.

A pele masculina é mais áspera do que a pele feminina, pois tem a camada externa mais desenvolvida possuindo maior quantidade de queratina. Assim, os pelos se manifestam mais grossos e abundantes. Outra diferença é em relação a produção de sebo e suor. O homem possui mais glândulas sebáceas em relação a mulher, por isso, sua pele costuma ser mais oleosa, com poros dilatados e tendência à acne. A produção de suor também pode chegar ao dobro da taxa feminina.

Cremes para o rosto também é coisa de homem!

Os dermocosméticos surgem para atender as necessidades da pele masculina, e vem sendo inseridos na rotina do homem moderno. A limpeza, a tonificação, a hidratação e a proteção solar são passos importantes a serem seguidos.

Principais cuidados com a pele:

Entre os principais cuidados com a pele masculina, o uso do filtro solar é primordial, tanto para a proteção contra o câncer de pele quanto na prevenção do envelhecimento precoce.

A higienização com produtos específicos é essencial, já que auxilia no controle do brilho. Um esfoliante pode ser usado semanalmente para diminuir os quadros de foliculite causados pelo barbear.

 

+ Cosméticos naturais, orgânicos e veganos – entenda melhor esta tendência

 

O cabelo: em busca do penteado perfeito.

Um trabalho que vai além das barbearias e é levado para casa. Seguindo a tendência das barbas, shampoos, condicionadores, pomadas e até mascaras, estão entre os itens procurados para manter os cabelos bonitos e os penteados mais firmes.

Os cabelos dos homens são diferentes dos cabelos das mulheres e, por isso, exigem um cuidado especial. Os fios masculinos são mais espessos, mais fortes e o couro cabeludo é, geralmente, mais oleoso.

Principais cuidados com os cabelos:

Na maioria dos casos, a prioridade é controlar o excesso de oleosidade e prevenir a região de doenças como a dermatite seborreica.

Quando os cabelos estão danificadas é um sinal de que precisam de nutrição. Isso normalmente ocorre durante o verão com água do mar ou piscina, sendo imprescindível dar uma atenção especial à região. Aqueles que usam tinturas, fazem descoloração ou algum tipo de alisamento devem hidratar com frequência também.

 

O corpo: da nutrição à estética.

O público masculino está se alimentando melhor, buscando informações, e até mesmo a ajuda de profissionais como nutricionistas, endocrinologistas e fisiologistas do esporte.

Eles estão mais preocupados com o corpo, e não é só por uma questão de saúde, mas também de estética. A busca não se resume apenas a academias, ginásios e academias de crossfit, e se estende até mesmo às clínicas de estética, comprovando essa tendência.

Os nutracêuticos estão na moda. Produtos que aumentam o desempenho, o ganho de massa, e a recuperação muscular são os mais procurados. Correndo por fora, os dermocosméticos entram em cena, atendendo a demanda pelos mais preocupados com a beleza e a saúde da pele.

Principais cuidados com o corpo:

A prática de atividades físicas é benéfica ao corpo humano, mas a rotina de exercícios causa microlesões, fadiga muscular, e libera a ação de radicais livres.

A boa alimentação é primordial, porém, não é a única aliada a prática de atividades físicas. Produtos que cuidam do corpo e auxiliam na recuperação muscular, são importantes para manter o desempenho. Antioxidantes também auxiliam no combate aos radicais livres, prevenindo o envelhecimento.

Escolher roupas e acessórios adequados para a pratica de cada atividade física é essencial para manter a pele saudável e evitar lesões. O atrito provocado pelo constante contato com as roupas ou a pressão causada pelos pesos nas mãos, podem ressecar ou lesionar a pele nas regiões atingidas. Portanto, além das roupas, se deve manter as regiões de atrito sempre hidratadas antes da rotina de exercícios físicos.

Após a prática da atividade física, é importante retirar as roupas imediatamente, para que a pele respire, e tomar um banho de água morna (nunca quente!). Isso evita a proliferação de bactérias provenientes da sudorese, que podem causar processos inflamatórios como a foliculite, principalmente nas regiões onde se concentram a maior quantidade de pelos. Uma boa higienização durante o banho com sabonetes adequados, ajuda a desobstruir os pores e remover a oleosidade, restaurando a estrutura natural da pele.

 

 

Deixando a vergonha e os antigos costumes de lado, o homem se cuida também. E não é só por estética, é saúde!

Para se cuidar, basta começar!

editada

Você sabia que mudanças na flora intestinal podem afetar seu cérebro?

Faz todo sentido compreender a função da flora intestinal e a sensacional comunicação entre o cérebro e intestino. Há uma forte conexão entre ambos e, juntos, são peças fundamentais no nosso humor e saúde mental. Especialistas afirmam que um intestino saudável nos conduz à longevidade!

O intestino tem cerca de 100 milhões de neurônios conectados à região cerebral, e diversos estudos apontam o órgão como um dos mais importantes redutos de produção da serotonina (cerca de 90%), neurotransmissor relacionado à sensação de bem-estar e felicidade. Com isso, se o intestino funciona bem, menores serão os riscos de ocorrência de depressão e ansiedade. O intestino possui um papel fundamental no funcionamento mental e emocional, enviando informações diretamente para o cérebro e influenciando nos sentimentos de stress, ansiedade e tristeza, assim como memória e aprendizado.

Estudos demonstram que o intestino é essencial para a imunidade. Aproximadamente 80% das células produtoras de anticorpos estão associadas à mucosa do intestino delgado.

Diante destas referências, os profissionais da saúde e consumidores começam a olhar de maneira diferente para a saúde intestinal. No nosso dia a dia, há diversas maneiras de manter a microbiota intestinal saudável, o que envolve especialmente bons hábitos e boa alimentação:

• Evitar cigarro e bebida alcoólica.
• Manter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e outros alimentos ricos em fibras e minerais.
• Beber bastante água.
• Praticar atividade física com frequência.
• Consumir suplementos prebióticos e probióticos.

 

O papel das bactérias intestinais

A maior parte das bactérias presentes no nosso intestino são fundamentais para nosso organismo, e nem sempre são nocivas. Essa população de microrganismos é chamada de microbiota. A maioria vive no sistema digestivo, onde existem 300 espécies de bactérias.

A microbiota tem papel decisivo na manutenção da saúde, auxiliando na digestão de alimentos e nos protegendo de infecções. A princípio, nossa relação com essas bactérias é pacífica e proveitosa para ambos os lados: elas conseguem obter nutrientes necessários para sobreviver e, em troca, regulam direitinho nosso organismo.

Nos dias de hoje, começamos a entender como a flora interfere na predisposição a várias doenças, e como ela é capaz de influenciar até no comportamento e nas emoções das pessoas.

Os antibióticos, embora sejam fundamentais para controlar infecções, podem estar ajudando a criar novos problemas. A perda da diversidade da microbiota no nosso corpo cobra um preço terrível e prejudica nosso futuro.

 

O intestino e a depressão

A depressão é amplamente atribuída a uma diminuição na serotonina. O que impressiona é que apenas 5% da serotonina do corpo é armazenada no cérebro, sendo que os outros 95% são armazenados no intestino. Não é surpresa que o intestino esteja mais ligado à depressão do que a gente imagina. Pesquisas continuam sendo realizadas em busca de respostas para este problema.

 

O intestino e a ansiedade

Pesquisadores descobriram que jovens adultos que consomem probióticos têm menos sintomas de ansiedade social. Para tanto, é provável que os probióticos sejam favoráveis às mudanças no trato gastrointestinal, que influenciam a ansiedade.

 

O intestino e a prática de esportes

Evidências revelam que um desequilíbrio no intestino pode afetar o desempenho no esporte. Isso acontece por conta de uma má absorção de vitaminas e minerais essenciais para atletas, como no caso da vitamina B6 e do zinco.

A vitamina B6 é fundamental para a construção e regeneração do tecido muscular, assim como o zinco, que auxilia no crescimento dos músculos, além de atuar como antioxidante no combate aos radicais livres, compostos que podem prejudicar a recuperação muscular.

 

Mas é possível prevenir e reverter o desequilíbrio na microbiota intestinal?

A resposta é sim. A flora pode ser modulada para que as bactérias do bem vivam e sejam benéficas. E isso é obtido, em parte, via alimentação, quando se investe nos probióticos e prebióticos.

Probióticos

Para reforçar a saúde da microbiota intestinal também é recomendável ingerir diariamente alimentos com probióticos – termo que tem origem grega, e significa “para a vida”. Probióticos são microrganismos vivos que, quando consumidos em quantidades adequadas, conferem efeitos benéficos ao hospedeiro.

O campo de estudos de intervenções na flora intestinal avançou nos últimos anos e já podemos atenuar doenças relacionadas alterando a nossa microbiota. Recorrer a bactérias das classes dos lactobacilos e bifidobactérias já é uma alternativa para abrandar a síndrome do intestino irritável, por exemplo.

Prebióticos

É muito importante para a saúde intestinal a ingestão dos probióticos. Entretanto, não podemos esquecer também de alimentar a flora intestinal. Essa é a função dos prebióticos, que são ricos em fibras solúveis. Tais componentes nutrem as bactérias, e elas, por sua vez, agradecem devolvendo vantagens ao nosso corpo.

 

Para existir saúde plena, o intestino tem que funcionar bem

Como se vê, a investigação do eixo intestino-microbiota-cérebro é bem atual e muito promissora. A saúde mental não fica só na cabeça e, finalmente, a ciência está nos dando provas concretas disso. As pesquisas são animadoras no sentido de revolucionar os tratamentos para uma série de fatores relacionados. Ali no intestino está o nosso segundo cérebro e, possivelmente, umas das chaves para o sucesso do nosso bem estar mental e emocional!

 

Prebiótico Olix 95

É possível retardar o envelhecimento?

É possível retardar o processo de envelhecimento??

Retardar o processo de envelhecimento é um sonho antigo da humanidade. Mas será que isso, um dia, será possível?

Pois alguns pesquisadores acreditam que sim. E o segredo pode estar em uma enzima importante que, quando ativada, inicia um processo que estabiliza a mitose das células, evitando que alterações no material genético celular ocorram durante o processo. Trata-se da AMPK.

Os cientistas definem a descoberta da AMPK como um grande avanço na forma como entendemos e combatemos o envelhecimento. Isso porque ao reativar a AMPK celular, nos aproximamos de forma tentadora de obter um controle significativo sobre os processos mortais de envelhecimento, que nos predispõem a tantos distúrbios degenerativos.

O interesse pelo assunto vem crescendo tanto nos últimos anos, que uma pesquisa realizada no PubMed, uma plataforma de busca de livre acesso à base de dados de citações e resumos de artigos de biomedicina, oferecida pela Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, mostra mais de 13 mil artigos publicados sobre vários aspectos da AMPK.

Em estudos recentes, esta molécula também se tornou uma espécie de protagonista durante a análise dos processos por trás da perda de peso e do ganho de energia e construção muscular: sua ativação é extremamente eficaz para aumentar o nosso metabolismo e estimular a queima de gordura.

O grande problema é que o nível de ativação da AMPK está intimamente relacionado à nossa idade, ou seja, a enzima é mais ativa quando somos jovens e sua atividade celular diminui à medida que envelhecemos, o que ajuda a explicar o acúmulo de gordura visceral e a perda de massa muscular com o passar dos anos.

 

Agora veja a diferença que a ativação dessa enzima pode fazer na sua saúde:

Então, como manter ativada a “chave-mestra” do nosso organismo?

De acordo com os pesquisadores, as opções existentes, são:
 Através do exercício físico
 Com uma dieta de restrição de calorias (pois as células sentem a necessidade de funcionar com mais eficiência quando percebem a ingestão diminuída de energia)
 Com a ajuda de extratos botânicos.

 

Aqui na Vepakum Farma nós temos o Dippia, extrato vegetal bioativo, potente ativador do AMPK, que auxilia no gerenciamento de peso e ajuda a reduzir a glicose sanguínea, o colesterol e o triglicérides. Conheça. Entre em contato conosco.

Telefone / Fax: +55 (11) 4671-9200

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: contato[email protected]