editada

Cuidados com a pele no Outono

A transição do Verão para o Outono/Inverno geralmente implica em quedas bruscas na temperatura. Por isso, a rotina de cuidados skin care deve ser adaptada para as temperaturas mais frias e o clima mais seco, prevenindo problemas com a desidratação e ressecamento cutâneo, além de reparar os danos causados durante o verão, período em que ficamos mais suscetíveis ao fotoenvelhecimento.

 

1. Não se engane, devemos utilizar o protetor solar mesmo nas estações mais frias

Ao contrário do que muitos pensam, devemos utilizar o protetor solar mesmo no Outono/Inverno. A radiação solar também está presente nos dias mais frios e nublados, portanto, para evitar o fotoenvelhecimento o protetor solar deverá ser utilizado diariamente, mesmo nas estações mais frias ou nos dias chuvosos.

Um princípio ativo recomendado para os cuidados extras nesta época do ano é o CELLIGENT®. Além de possuir potente ação oxidante que evita o estresse oxidativo gerado pela exposição solar, CELLIGENT® ainda repara o DNA celular danificado pela radiação.

Bônus: Você sabia que mudanças bruscas de temperatura ou ainda na sua rotina podem causar danos ao ciclo circadiano da sua pele? CELLIGENT® reinicia os principais genes do relógio circadiano da pele, além de promover o fortalecimento da barreira cutânea e o aumento da hidratação.

 

2. Para retardar o envelhecimento, a rotina de cuidados skin care deve ser levada à sério.

Esse é o momento de recuperar a pele lesada e levemente mais “envelhecida” por conta das estações mais quentes. Além dos cuidados necessários com a limpeza diária, aproveite e o Outono/Inverno para intensificar a sua rotina de cuidados e usar e abusar de ativos anti-aging e hidratantes.

Para colocar a rotina de rejuvenescimento em dia, indicamos o Reallagen™. Este princípio ativo, que já é sensação nos consultórios dermatológicos, irá atenuar rugas e linhas de expressão em até 60% em apenas 10 semanas. Com estudos que comprovam a sua eficácia. Um destaque especial fica para a versão em ESFERA do produto, que vem sendo bastante procurada nas farmácias de manipulação de todo o país.

 

3. Hidrate, hidrate muito!

Com o clima mais frio e seco, é normal que a nossa pele sofra com o ressecamento excessivo. Para manter o viço e o aspecto de pele saudável, recomendamos o uso diário de um bom princípio ativo hidratante, mesmo se você possui uma pele mais oleosa. Sim, a pele pode ser considerada oleosa (quando existe a produção exacerbada de sebo) porém, seca ao mesmo tempo! A hidratação indica a quantidade de água presente nas camadas internas da pele, é sendo assim, um parâmetro totalmente diferente da quantidade de sebo produzido e eliminado em sua superfície. Lembre-se disso!

Se sua pele tem uma característica mais oleosa, opte por manipular um creme/gel específico para o seu tipo de pele. Ativos seborreguladores também podem ser adicionados a formulação para um maior controle da oleosidade.

Para uma hidratação intensiva, indicamos MYRAMAZE®. Este princípio ativo fornece hidratação por mais de 48h, além de auxiliar na restauração da barreira de proteção da pele. MYRAMAZE® pode ser utilizado tanto nas peles mais secas quanto nas peles mais oleosas, sem provocar o aumento da oleosidade.

 

4. Não se esqueça dos seus lábios

Os lábios também merecem uma atenção especial nas estações mais frias. Com a mudança de temperatura, os lábios também sofrem com o ressecamento, podendo até apresentar pequenas e dolorosas fissuras superficiais ou ainda sofrer lesões mais severas.

Tenha sempre em mãos um hidratante labial. Você poderá ainda adicionar SEPILIFT™-DPHP à sua formulação. Além de propriedades hidratantes, SEPILIFT™-DPHP ajuda a suavizar e reduzir os sulcos labiais em até 37% em 15 dias. Este ativo ainda ajuda a melhorar o contorno e aumentar o volume labial.

Doenças mais comuns no outono

Problemas de saúde comuns no outono e como evitá-los

O outono é muito mais do que a estação da queda das folhas e das temperaturas. Essa transição do verão para o inverno traz consigo uma série de mudanças que afetam diretamente a nossa saúde.

Isso acontece porque o clima frio pode suprimir o nosso sistema imunológico, aumentando sua suscetibilidade a infecções. Mas outros fatores, como a falta de cuidados específicos para essa época do ano e a baixa umidade do ar, também compartilham a culpa pela disseminação dessas doenças.

De acordo com os especialistas, uma boa – e frequente – higiene das mãos, por exemplo, é fundamental para diminuir a transmissão dos vírus, assim como evitar ambientes fechados e com grande concentração de pessoas, apostar numa alimentação saudável e beber bastante líquido, como água e sucos naturais. Além disso, vestir-se adequadamente também pode ajudar a prevenir doenças. Segundo pesquisa, o uso de roupas inadequadas e a exposição a bruscas mudanças de temperatura aumentam bastante o risco das pessoas ficarem doentes, principalmente crianças e idosos.

Confira algumas das doenças mais comuns nessa época do ano:

Gripe – a gripe desponta quase sempre como protagonista entre as doenças da estação e provoca mal-estar generalizado, dores de cabeça e de garganta, febre, entre outros sintomas.

Pneumonia – a infecção aguda do pulmões é bem mais grave do que a gripe, apesar dos primeiros sintomas poderem ser bem parecidos, e leva a quadros de febre alta, tosse com expectoração e dor na região do tórax, que exigem a administração de antibióticos e podem culminar em internações.

Alergias – doenças como rinites, sinusites e bronquites, que podem alérgicas ou causadas por vírus e bactéria, costumam piorar no outono. A baixa na umidade inflama a mucosa respiratória, que fica mais sensível a ação dos agentes externos. O ar seco também piora a situação de quem tem alergias na pele, que fica mais suscetível a problemas.

Conjuntivite – tanto a conjuntivite alérgica quanto a viral (que é bastante contagiosa) são muito comuns nessa época do ano. Ambas causam o inchaço das pálpebras, lacrimejamento intenso, coceira, secreção e sensação de areia ou cisco no olho. Aumentar os cuidados com a higiene pessoal são fundamentais para evitar a contaminação.

Artrite – Muitas pessoas que sofrem com o problema afirmam que o clima frio faz com que os sintomas aumentem. Resultados de pesquisas mostraram que, de fato, a dor é maior quando a temperatura ambiente está mais baixa. Segundo esses estudos, o aumento da pressão atmosférica (como acontece antes de chover) foi associada a maior dor em pacientes com artrite reumatoide, enquanto a alteração na umidade do ar influencie a dor em pacientes com osteoartrite.

Cuidados com a pele
A queda nas temperaturas também afeta a saúde da nossa pele. Por isso, os cuidados com a hidratação devem ser redobrados, para evitar reações desagradáveis como a descamação, por exemplo. Além disso, evite os banhos muito quentes, por mais convidativos que pareçam, pois eles pioram o quadro de ressecamento da pele. E abuse dos hidratantes, tanto corporais, quanto faciais.

Aliás, falando nos hidratantes, são eles também que irão te ajudar a evitar aquelas rachaduras na pele, típicas das estações mais frias. Elas acometem, na maioria das vezes, os lábios, mas também podem ocorrer em outras áreas do corpo que ficam expostas, como as mãos. Então, carregue sempre com você um lip balm e um creme de mãos e reaplique várias vezes ao longo do dia para fortalecer a barreira protetora da pele.

Para finalizar, lembre-se: pele desidratada é igual a pele opaca e sem vida. Se você quer fugir desse quadro, invista em cosméticos que proporcionem reconstituição celular e proteção contra a perda de água.

Telefone / Fax: +55 (11) 4671-9200

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: [email protected]