Manipulação: Bases Manipuladas X Bases Prontas (semielaboradas)

Manipulação: Bases Manipuladas X Bases Prontas (semielaboradas)

Bases, Veículos, Excipientes…talvez você já tenha se perguntado qual é a melhor opção para a sua farmácia: desenvolver suas próprias bases cosméticas e dermatológicas, ou comprar uma base pronta de um distribuidor de insumos?

De fato, a manipulação, principalmente a manipulação de produtos cosméticos avançou muito nos últimos anos, novas tecnologias, opções de polímeros, emulsionantes, modificadores de sensorial e até mesmo os veículos dermatológicos e cosméticos semielaborados vieram para facilitar a vida do manipulador farmacêutico. Afinal, não é simples lidar com a rotina de uma farmácia de manipulação e todas as exigências que ela demanda, muitas vezes dependendo do volume de fórmulas a serem manipuladas v.s. quantidade de funcionários disponíveis para atender esta demanda, a farmácia poderá se transformar em um pequeno caos, e em alguns dias, um manipulador experiente poderá manipular até 50 fórmulas ao dia, desta forma, a otimização de processos na manipulação é muito bem-vinda.

Neste post, abordaremos a fundo o que é mais vantajoso para uma farmácia de manipulação. Se desenvolver e produzir suas próprias bases cosméticas ou utilizar bases semielaboradas.

 

Bases manipuladas

Eis aqui toda a beleza da manipulação cosmética. Trabalhar desde o desenvolvimento de um novo conceito, incluindo seus princípios ativos cuidadosamente selecionados até a concepção do veículo mais adequado, chegando a manipulação de um produto cosmético 100% personalizado, do jeito que você imaginou e que só a sua farmácia produz.

Desenvolver e manipular a sua própria base/veículo possibilita um leque imenso de opções. São inúmeros os parâmetros que podem ser trabalhados ao desenvolver uma base do zero. Além do tipo de base (creme, gelcreme, gel, etc), abrangendo parâmetros como a emoliência, espalhabilidade, viscosidade, penetração e evanescência, até a escolha dos melhores conservantes, fragrâncias, coloração, enfim, todo o processo que o desenvolvimento de uma fórmula personalizada possibilita ao farmacêutico desenvolvedor.

É possível ainda, desenvolver uma base funcional, a qual apresentará alguns ativos já incorporados em sua composição, e que dará um toque de sofisticação à sua base.

Indo do desenvolvimento à manipulação, atualmente existem emulsionantes e polímeros de alta tecnologia que possibilitam a manipulação de bases de maneira mais rápida e prática, o que facilita muito a vida do manipulador. A VPK Farma distribui uma gama de polímeros conceituados da francesa SEPPIC, como Simulgel™ INS 100, Sepigel™ 305, Sepiplus™ 400 e Sepimax™ ZEN, para agilizar o processo e dar um toque de sofisticação na manipulação dos mais diversos tipos de bases dermatológicas e cosméticas.

Porém, infelizmente, nem todas as farmácias conseguem disponibilizar um farmacêutico/manipulador para desenvolver e manipular veículos cosméticos e dermatológicos personalizados. Isso exige tempo e experiência, e os custos de um farmacêutico dedicado para esta tarefa pode não ser vantajoso para a farmácia.

Outro fator que deve ser levado em consideração em farmácias que manipulam suas próprias bases, é a padronização. Nem todo manipulador consegue manipular com precisão uma base idêntica à manipulada anteriormente, e quando há a troca ou substituição deste colaborador, este tema se torna ainda mais sensível, mesmo seguindo procedimentos operacionais detalhados, em alguns casos essa diferença poderá ser “sentida na pele” do consumidor. Mesmo um excelente e experiente manipulador pode cometer pequenos desvios ou adequações no processo que é primordialmente manual, principalmente considerando a rotina de uma farmácia de manipulação que necessita de um ritmo acelerado de produção.

Lembre-se, para manipular uma base, são necessários múltiplos ingredientes, bem como seus respectivos controles de qualidade, estoque e validade, o que pode interferir diretamente na qualidade e na reprodutibilidade de uma base manipulada.

Além disso não podemos esquecer das exigências estabelecidas na RDC 67, de 8 de Outubro de 2007, que preconizam que o teste de “pureza de microbiológica” deverá ser realizado nas bases galênicas produzidas na farmácia, por meio de monitoramento, ou seja, a farmácia deverá submeter mensalmente, em esquema de rodízio uma de suas bases, considerando neste rodízio, o tipo da base e também o seu manipulador. Estes testes geralmente demandam tempo e geram custos elevados que devem ser considerados pela farmácia que optar pela manipulação de seus próprios veículos dermatológicos/cosméticos.

 

Bases prontas (semielaboradas)

Quem opta por adquirir as bases prontas de um distribuidor de insumos farmacêuticos, opta também por otimizar os processos em sua farmácia, não enfrentando problemas com a padronização na manipulação das bases por exemplo, uma vez que estas já estão prontas para receberem a incorporação dos mais diversos princípios ativos, cosméticos e/ou dermatológicos, sendo 100% padronizadas, independente do lote de compra ou recompra.

A farmácia também não precisará depender de um profissional para desenvolver e manipular suas bases, o que torna o processo de manipulação mais rápido e prático. As bases semielaboradas, são desenvolvidas para receber a incorporação imediata de princípios ativos, facilitando o processo de manipulação para farmácias que recebem um alto volume de fórmulas diariamente, ou que preferem trabalhar com agilidade e segurança e não possuem recursos para disponibilizar um profissional para desenvolver e manipular suas próprias bases.

Você poderá encontrar inúmeras bases prontas disponíveis no mercado, com as mais variadas características, de acordo com seu processo de fabricação, e não é difícil encontrar um distribuidor que possa fornecê-las para a sua farmácia.

Um dos fatores que impactam diretamente na decisão de compra de bases prontas é o volume mínimo de venda destas bases, sendo geralmente oferecidas em tamanhos de fracionamento a partir de 5Kg, o que torna mais difícil a aquisição de uma base que possui um giro menor.

Algo para se ficar atento, é que algumas linhas de bases disponíveis no mercado, possuem conservantes que podem ser considerados controversos, como Parabenos, além de adjuvantes como Propilenoglicol e derivados de Soja.

 

VPK Bases

Você sabia que a VPK Farma possui uma linha completa de bases dermatológicas prontas para a sua farmácia?

Livre de Parabenos, Soja e Propilenoglicol, as VPK Bases contam com 7 bases dermatológicas diferentes em sua linha: Creme Não-Iônico, Loção Não-Iônica, Creme Aniônico, Loção Aniônica, Gelcreme, Cold Cream Cosmético e Xampu Transparente.

As VPK Bases passam por um rigoroso controle de qualidade microbiológico, e companha laudo de análise físico-quimico e microbiológico, atendendo a legislação vigente se mantendo estáveis durante todo o período de validade, sem perda de eficácia ou viscosidade.

Outro diferencial importante, é que as VPK Bases são envasadas e comercializadas em embalagens de 1kg, tornando mais fácil sua aquisição e armazenamento.

Consulte o seu vendedor e solicite o material técnico.

 

Terapia transdérmica para o tratamento da dor

Conheça os benefícios da terapia transdérmica para alívio da dor

Os avanços da ciência, principalmente nas áreas médica e farmacêutica, nos permitem hoje optar por diferentes formas de tratamento, além dos já tradicionais comprimidos. Uma dessas opções é o tratamento via permeação transdérmica.

Esse sistema já vem sendo bastante utilizado para algumas terapias específicas, principalmente de reposição hormonal, mas começa a ganhar força também em outras áreas, como a veterinária, por exemplo, onde a administração de medicamentos é sempre mais complicada. E justamente por ser mais conveniente e agradável para o paciente é que esse tipo de medicação pode fazer a diferença para diversos outros tratamentos, principalmente quando a pessoa já faz uso de muitos medicamentos tradicionais e precisam de uma outra opção, igualmente eficaz.

Terapias especiais para o tratamento da dor
Atualmente, já é possível encontrar bases que permitem associar um grande número de ativos em uma mesma formulação transdérmica. Além da potencialização do tratamento, esse tipo de terapia possui a vantagem de garantir a liberação dos ativos diretamente na corrente sanguínea, sem passagem pelo sistema gastrointestinal. Com isso, os fármacos não sofrem com a ação do pH ácido do estômago e ainda evitam o chamado “metabolismo de primeira passagem”, quando o fígado extrai e metaboliza algumas substâncias com tanta eficiência que a quantidade que chega à circulação sistêmica é consideravelmente menor do que a quantidade ingerida.

Portanto, de modo geral, podemos dizer que o tratamento transdérmico possui cinco principais vantagens:

1. Melhoria do bem-estar do paciente
Uma vez que várias APIs podem ser combinadas em um único produto, não há mais a necessidade de ingestão de vários medicamentos, com doses múltiplas em diferentes momentos ao longo do dia e da noite. Com isso, evita-se o esquecimento, exclui-se a necessidade do paciente acordar no meio da noite (ou alterar seu horário de dormir) para tomar o medicamento e melhora-se, consequentemente, a efetividade do tratamento. Além disso, é ideal para pacientes com dificuldades para engolir comprimidos.

2. Níveis constantes de fármacos no organismo
Como já explicamos, quando os fármacos são administrados via oral, uma quantidade significativa dele é metabolizada pelo fígado e a quantidade remanescente é continuamente reduzida como resultado dos processos metabólicos do organismo. Como resultado, a quantidade de fármaco realmente disponível para o corpo varia muito ao longo do dia. Em contrapartida, no tratamento transdérmico esse número se mantem constante.

3. Menos efeitos colaterais
As substâncias administradas oralmente podem gerar efeitos colaterais gastrointestinais, como as náuseas e os enjoos, por exemplo. Em alguns casos, esses efeitos colaterais levam o paciente a desistir do tratamento. A absorção transdérmica, por sua vez, reduz significativamente a maioria desses efeitos colaterais. Além disso, muitas substâncias tomadas por via oral são influenciadas pela ingestão ou não de alimentos ao mesmo tempo. Por isso, existem recomendações de medicamentos que devem ser tomados antes ou depois das refeições, por exemplo. No caso dos tratamentos transdérmicos, como o corpo absorve a substância diretamente, isso não é mais necessário.

4. Quantidades mais baixas de ativos
Tanto a biodisponibilidade oral limitada como o metabolismo do fármaco pelo fígado após a administração oral levam o paciente a ingerir uma quantidade significativamente maior de ativos do que realmente seria necessário para o tratamento. Ao usar a medicação por via transdérmica, apenas a quantidade necessária entra no corpo, otimizando a administração.

5. Redução do risco de abuso e dependência
A adesão às terapias transdérmicas é apontada por muitos como uma excelente alternativa para pacientes com risco de abuso e dependência de medicação para dor oral, já que pode ajudar a controlar eficazmente a dor sem a necessidade de narcóticos potencialmente viciantes.

Portanto, se você ainda tinha dúvidas sobre esse tipo de tratamento, tenha sempre em mente: a menos que haja algum fator que impossibilite essa opção (como alergias ou doenças de pele), as formulações transdérmicas são tão seguras quanto as terapias tradicionais e ainda provocam menos efeitos indesejáveis.

Publicado em:

agosto 21, 2020

Compartilhar

Endereço:

Av. Jabaquara 1771 – Saúde

São Paulo / SP

Telefone / Fax: +55 (11) 4671-9200

Telefone: 0800 940 3210

E-mail: [email protected]