A nossa pele pode ser classificada de diversas formas, seja de acordo com o seu grau de oleosidade ou hidratação ou ainda de acordo com a capacidade que a pele possui de se “queimar” ou “bronzear” quando exposta à radiação UVA/UVB. Dessa forma, uma das classificações mais comuns para a pele é classificá-la de acordo com seu fototipo, abrangendo características que vão desde a sua tonalidade como também sua consequente capacidade de proteção de fibras colágenas e elásticas, estes fatores farão com que cada fototipo necessite de cuidados específicos, pois, esta classificação abrange não apenas a aparência visual da tonalidade da pele, mas diferenças anatômicas e funcionais muito importantes, que devem ser consideradas durante o desenvolvimento de uma rotina de cuidados diários.

De acordo com Fitzpatrick (1976), os fototipos apresentam uma classificação numérica que varia de 1 à 6, de acordo com a capacidade que a pele possui de se queimar ou bronzear quando exposta a radiação UVA/B, variando em tonalidade, desde a mais pálida (1) que se queima muito facilmente e não se bronzeia evoluindo até o fototipo 6, que possui a capacidade de não se queimar e se bronzear facilmente quando exposta a radiação UVA/B intensa.

Veja abaixo a classificação:


Adaptado de: Wolff, K. et al. Dermatologia de Fitzpatrick: atlas e texto. 7. ed. Porto Alegre: AMGH, 2014

 

Evidentemente, nesse post abordaremos cada pele étnica de acordo com suas características gerais ou mais comuns ao fototipo. Obviamente uma pele oriental poderá possuirá outras particularidades que irão diferenciá-la de outro indivíduo também com pele oriental, estas particularidades irão variar de acordo com fatores genéticos, hormonais, condições de estresse, ambiente à que está exposta e etc. Abordaremos aqui, as principais características de cada fototipo, de forma geral. Uma avaliação mais aprofundada deverá sempre ser feita por um dermatologista, que deve ser consultado regularmente.

Quando falamos em pele, é consenso que toda mulher e também, atualmente muitos homens, independente das características individuais da sua pele, sempre buscarão uma pele jovem, sem rugas ou linhas de expressão, bem hidratada, sem oleosidade aparente e com tonalidade uniforme (sem manchas). Mas você sabe quais são os cuidados essenciais para manter a sua pele saudável e com aparência jovial? Veja a seguir.

 

Rotina de cuidados para fototipos que variam do 1 ao 3

As peles menos pigmentadas são também as que mais sofrem com o envelhecimento precoce e a fotosensibilidade. As fibras de colágeno e elastina são menos densas que em outros tipos de pele, favorecendo a formação das rugas e linhas finas de expressão. Isso se dá como consequência à menor produção de melanina, dessa forma, estes fototipos dificilmente terá uma pele bronzeada.

 

1. Cuidados com a exposição solar

Quanto mais pálida a pele, maiores devem ser os cuidados relacionados a exposição solar. Além de utilizar protetor solar diariamente, com alto fator de proteção (FPS 60 no mínimo), a exposição solar deverá ser evitada entre 10h e 16h, quando a emissão da radiação UVA/B está mais intensa.

Além de proteger a pele contra possíveis queimaduras que a radiação UVA/B poderá causar nestes fototipos, o protetor solar também diminui a produção de radicais livres causados pelo estresse cutâneo sofrido pelo excesso de exposição solar, estes radicais livres contribuem para o envelhecimento precoce. Lembrando que a radiação solar pode levar ao Câncer de Pele!

Para minimizar os danos causados pela exposição solar, indicamos um pós-sol manipulado com CELLIGENT®.

 

2. Mantenha a hidratação em dia

A hidratação deve ser levada à sério. Tanto no verão quanto nas estações mais frias, as mudanças climáticas contribuem para o ressecamento cutâneo. Por isso é importante hidratar a pele pelo menos 1x ao dia, e no mínimo 2x ao dia em regiões mais ressecadas como joelhos, cotovelos, calcanhares e mãos.

Para uma hidratação profunda que se estende por mais de 48h em uma única aplicação, indicamos MYRAMAZE®. Este princípio ativo restaura a barreira de proteção da pele, mantendo a pele hidratada por mais tempo, sem interferir no aumento da oleosidade.

É importante salientar que uma pele oleosa não necessariamente é uma pele hidratada. A hidratação está relacionada a quantidade de ÁGUA presente na pele, e não à quantidade de ÓLEO (sebo) que ela produz. Mesmo uma pele oleosa deve ser hidratada. Para isso, ao manipular o seu cosmético, opte por formulações em Gel ou Gelcreme, que não alteram a oleosidade da pele.

 

3. Cuidado com o envelhecimento cutâneo

Os fototipos mais baixos são os que mais sofrem com o envelhecimento cutâneo. Devido à baixa proteção que a pouca quantidade de melanina presente em fototipos 1 – 3, geralmente estes fototipos possuem as fibras de colágeno e elastina menos densas em comparação às peles com fototipos mais altos. Portanto, linhas de expressão, rugas e a flacidez podem se tornar um problema recorrente caso a pele não seja bem cuidada.

Após os 30 anos, é necessário investir num bom princípio ativo anti-aging para evitar os primeiros sinais do envelhecimento. Recomendamos uma fórmula manipulada com REALLAGEN™. Além de ser extremamente eficaz para evitar o envelhecimento cutâneo, este princípio ativo possui eficácia comprovada no tratamento das rugas e linhas de expressão, diminuindo seu volume em até 60%, em apenas 10 semanas de aplicação.

 

4. Cuidados com a depilação

Apesar de ser menos propensa aos pelos encravados e ao aparecimento da foliculite, as peles mais claras, quando irritadas, ficam com um aspecto avermelhado intenso, e possíveis obstruções se tornam mais aparentes.

Recomendamos uma fórmula manipulada com DEFENSIL®-PLUS. Este princípio ativo poderá ser utilizado tanto no pré quanto no pós-depilatório, com o objetivo de acalmar a pele irritada, prevenir a foliculite e os pelos encravados.

 

Rotina de cuidados da pele para fototipos que variam do 4 ao 6

Apesar das peles com fototipos mais altos proporcionarem uma alta proteção cutânea, principalmente protegendo as fibras de colágeno e elastina que por sua vez são mais densas, o as torna menos suscetíveis envelhecimento cutâneo aparente, elas geralmente são mais oleosas, possuem o pH mais ácido e por conta da alta produção de melanina, são também propensas às manchas cutâneas.

 

1. A limpeza é fundamental

Como dito acima, os fototipos mais altos sofrem mais com alta produção sebácea. Portanto, é indispensável manter a pele sempre bem limpa, porém, cuidado com o efeito rebote!! Lavar o rosto pela manhã e à noite, com um sabonete facial específico já é suficiente. Evite lavar o rosto diversas vezes ao dia ou ainda ficar limpando o excesso de oleosidade aparente com lenços de papel ou tecido, pois, o excesso de limpeza e a fricção poderão causar o temido efeito rebote.

 

2. Controle da oleosidade.

Normalmente, quanto mais alto o fototipo, maior será a produção sebácea. Esse é um mecanismo de proteção natural da pele, para protegê-la das temperaturas mais elevadas. O problema é que peles mais oleosas estão, consequentemente mais propensas à manifestação da acne e comedões. Tanto as lesões de acne quanto comedões, quando não são devidamente tratados, podem gerar manchas pós inflamatórias na região acometida.

Por isso, é indispensável a utilização diária de um produto para controle de oleosidade, com veículos não oleosos como gelcremes ou géis, associados à princípios ativos para o controle efetivo da oleosidade cutânea. Indicamos uma formulação manipulada com SEBOCLEAR™-DB. Este princípio ativo de origem Suíça irá auxiliar no controle da oleosidade e na remoção das impurezas, reduzindo assim, a formação da acne os comedões.

 

3. O Protetor solar DEVE ser utilizado diariamente

Um erro muito comum é pensar que os fototipos mais altos não precisam de protetor solar. Lembre-se que como dissemos anteriormente que esses indivíduos são, geralmente, mais suscetíveis ao aparecimento de manchas de pele? Então, se não quiser conviver com elas invista em um bom protetor solar com FPS de proteção de no mínimo 20 e com veículo de toque seco e não oleoso.

É importante citar que mesmo os fototipos mais altos também poderão ter que lidar com um possível Câncer de pele.

 

4. Não dispense o anti-aging

Apesar dos sinais do envelhecimento serem menos aparentes e demorarem mais para se tornarem visíveis, isso não quer dizer que devemos dispensar os cuidados anti-aging. Rugas e linhas de expressão são mais difíceis de tratar depois de se instalarem. Portanto, a melhor medida ainda é a prevenção.

Indicamos uma formulação manipulada com SESAFLASH associada ao SEPICONTROL A5, esta formulação além de prevenir o aparecimento das rugas e linhas de expressão, ainda atuará controlando a oleosidade ao mesmo tempo que impede o envelhecimento cutâneo.

 

5. A depilação deve ter um cuidado especial

Peles negras geralmente sofrem mais com os pelos encravados e com a foliculite. Isso ocorre por conta da estrutura dos pelos, que geralmente são mais encaracolados, e crescem em uma angulação que dificulta o rompimento cutâneo, causando assim o que conhecemos como pelos “encravados”.

A foliculite e os pelos encravados, assim como as espinhas, podem levar às manchas na região afetada, pois também geram uma inflamação local. Portanto, se quiser manter a depilação em dia, um cuidado extra deve ser tomado. Recomendamos DEFENSIL®-PLUS no pré e pós-depilatório.

 

Rotina de cuidados da pele asiática

Assim como acontece com as peles negras, a pele de indivíduos asiáticos e seus descendentes, estão menos propensas a exibirem os sinais do envelhecimento, mas também são mais propensas ao aparecimento das manchas cutâneas. Outra característica comum à pele asiática, é o excesso de oleosidade, principalmente na região T da face, sobretudo em peles asiáticas que possuem os poros mais dilatados, comum em indivíduos do Sudeste asiático.

 

1. Evitando as manchas

Talvez um dos maiores incômodos para pacientes asiáticos são as manchas. A pele asiática produz melanina com muita facilidade, sendo classificada entre os fototipos IV e VI, por isso, o isso diário do filtro solar com alto fator de proteção é indispensável para evitar as manchas derivadas da exposição solar.

Se sua pele é mais oleosa e propensa à acne, os cuidados devem ser redobrados. Normalmente a pele asiática apresenta oleosidade em excesso na região da testa, nariz e queixo. Portanto, uma rotina de limpeza diária deve ser adotada de manhã e à noite, seguida pela aplicação de um cosmético manipulado com ação anticomedogênica. Recomendamos uma fórmula manipulada com SEPICONTROL™ A5.

Recomendamos também uma fórmula manipulada com CELLACTIVE®-WHITE. Este princípio ativo é capaz de uniformizar a tonalidade da pele e suavizar as manchas já existentes. Este ativo possui estudos que comprovam a sua eficácia em peles asiáticas!

 

2. Cuidados especiais para quem tem poros dilatados

Algumas pessoas de descendência oriental possuem a pele com os poros mais dilatados. Apesar desse tipo de pele ter menos problemas com as rugas e linhas de expressão, os poros dilatados contribuem para o acúmulo de sujidades e da oleosidade na região.

Por isso, recomendamos uma formulação manipulada com SEPITONIC M3 e SEPICONTROL™ A5. Esta combinação de ativos reconstitui a barreira cutânea, atua como um potente antipoluição diminuindo o estresse oxidativo além de combater a oleosidade, eliminando a acne e os comedões.

 

3. Cuidados anti-aging

Como dito, as peles asiáticas assim como as negras, também são menos impactadas pelo envelhecimento.

Na tentativa de “parar o relógio”, recomendamos uma fórmula manipulada com LIFTONIN XPERT, principalmente na área dos olhos que deve ter um cuidado especial, já que está mais propensa aos sinais do tempo.